Tudo o que você precisa saber sobre Food Styling

Afinal: O que é Food Styling e para que serve? Food styling e Fotografia de Alimentos são a mesma coisa?

Não é de hoje que o assunto existe e cada vez mais ouvimos falar em Food Styling, mas você sabe realmente o que significa? O objetivo hoje é tirar todas as dúvidas sobre este universo, seja você um aspirante a food stylist, um profissional da fotografia buscando conhecer mais sobre a fotografia de alimentos, ou alguém que está empreendendo no ramo da gastronomia e quer saber mais sobre o assunto. 

MapFood Mar19 CoraFoodConcept 01 Cópia

Food Styling x Fotografia de Gastronomia

Esse “versus” aí talvez passe uma ideia de conflito entre as duas coisas mas, na verdade, elas caminham juntas e se completam perfeitamente. O Food Styling é uma das etapas de todo o trabalho envolvido na hora de fotografar alimentos e bebidas.

Mas não é só no mundo da fotografia que vive o food stylist – o profissional especializado nessa área. As produções audiovisuais (como comerciais, filmes e novelas, por exemplo) que envolvem alimentos em cena também precisam dessa especialização, e até eventos gastronômicos podem contar com a presença de um food stylist na equipe. 

O que é Food Styling?

Na tradução bem literal, “Food Styling” significa “estilização da comida”, e nada mais é do que a produção e preparo daquele alimento para ser apresentado fotograficamente. Além das técnicas para deixar os alimentos mais atraentes, o food stylist, também pode se envolver na Direção de Arte, como a escolha das louças, tecidos, guardanapos e demais elementos de cena. Digo pode, porque tudo vai depender da dinâmica da equipe de trabalho – há trabalhos em que o food stylist desempenha todas estas funções e há trabalhos que contam com uma equipe de Direção de Arte – neste último caso, ambos profissionais trabalham em conjunto em prol do resultado final.

Basicamente, tudo o que você vê na foto de comida faz parte do processo de Food Styling – e o que você não vê também, afinal, é o food stylist quem também ajusta o clima e a mensagem do que se quer transmitir através daquela imagem. 

BelgianWaffle ShMai19 CoraFoodConcept 11

Para quê serve o Food Styling?

Se só de olhar a foto de um bolo com a calda escorrendo você fica com vontade de correr para comprar um, então o Food Styling funcionou. Se você tem desejo por aquela receita da foto, então o objetivo foi alcançado. Afinal, o Food Styling serve para despertar os sentidos e transmitir uma mensagem através daquela imagem. 

No caso de uma marca de alimentos, investir em Food Styling vai não apenas gerar o desejo pelo produto, mas também ajudar o cliente a se conectar com a marca. É o trabalho do Food Stylist que vai ajudar a definir o mood da marca. Se uma marca é moderninha ou vintage, elegante ou despojada, divertida ou cult. Toda essa construção de personalidade passa pela imagem através da qual uma marca se apresenta para o mundo – e é com essa personalidade que o cliente vai ou não se identificar.

E, como já diziam, uma imagem vale mais do que mil palavras! 

CoraFoodConcept Mai19

E por que se fala tanto em Food Styling hoje em dia?

O Food Styling não é uma profissão moderna! Historicamente falando, o conceito surgiu no início do século dezenove, e é possível ver isso em como as comidas eram representadas em pinturas da época. A produção culinária sempre esteve presente na nossa vida cotidiana – quem não lembra dos alimentos ultra produzidos que beiravam parecer de plástico nos cardápios de fast food dos anos 1980 e 1990? 

Mas, a importância do Food Styling na construção da marca tem voltado à tona – especialmente conforme as tendências evoluem. Estamos em um momento de evolução de comportamento de consumo e, em tempos de internet e redes sociais, é a imagem que vai prender a atenção do público para que ele queira saber mais sobre uma determinada marca ou página. 

Se a foto não for atraente ela se perde no feed. Se o cardápio no aplicativo não tem imagens, o cliente pode procurar outra loja. Se o comercial não prender, o expectador pula o anúncio. O consumidor aprendeu a identificar quando uma foto não representa uma realidade e se tornou muito mais criterioso na hora de fazer escolhas. E, quando o universo cabe na palma da mão, a primeira impressão é o que faz o cliente ficar – e investir nela se tornou fundamental para sobreviver no mercado.